sábado, outubro 21, 2017
Início > Entretenimento > Cinema > Análise > Esquadrão Suicida: minha opinião sobre o filme

Esquadrão Suicida: minha opinião sobre o filme

Esquadrão Suicida

O melhor filme de 2016: sem dúvida, se eu pudesse conferir uma distinção a ‘Esquadrão Suicida’ (Suicide Squad, 2016), certamente seria essa. Além de reunir um ótimo elenco, a peça traz um roteiro bem elaborado e cenários super-realistas.

Tudo começa quando a agente do governo americano Amanda Waller (Viola Davis) decide reunir os piores vilões da história para lutar contra um adversário comum: June Moone (Cara Delevingne), ou o fenômeno sobrenatural que se autointitula ‘Magia’ e que tomou seu corpo para criar uma máquina de destruição contra a humanidade. O problema que o esquadrão sabe que o desafio só leva a dois caminhos: ou vencem, ou morrem.

Leia outras publicações sobre cinema

Na trupe, estão: Floyd Lawton, ou Pistoleiro (interpretado por Will Smith); George ‘Digger’ Harkness, ou Capitão Boomerang (Jai Courtney); Chato Santana, El Diablo (Jay Hernandez); Waylon Jones, o Crocodilo (Adewale Akinnuoye-Agbaje); Christopher Weiss, o Amarra (Adam Beach), e a Dr. Harleen F. Quinzel, Harley Quinn, ou simplesmente Arlequina (Margot Robbie). O time é comandado pelo pelo coronel Rick Flag (Joel Kinnaman), namorado de June Moone (‘Magia’); e reforçado por Tatsu Yamashiro, ou Katana (Karen Fukuhara).

A trama é costurada com diversas contradições entre as personagens. Vilões ou heróis? Difícil de manter um sentimento único por cada uma delas. Arlequina, a louca, por exemplo, ganha destaque em todo o enredo e a simpatia do público em sua assídua procura por seu ‘pudinzinho’, o Coringa (Jared Leto). A busca pelo perdão do Pistoleiro e El Diablo chegam, a certo momento, comover.

Arlequina é destaque em ‘Esquadrão Suicida’
Arlequina é destaque em ‘Esquadrão Suicida’

O tom sarcástico de todo o roteiro funcionou, e contagiou o grande público que esteve na sessão em que estive, em plena tarde de quinta-feira; um sinal de que a DC Comics pode se recuperar do fraco e decepcionante ‘Batman vs Superman: A Origem da Justiça 2016’ (Batman v Superman: Dawn of Justice, 2016).

Bem costurado, ‘Esquadrão Suicida’ ainda dá pistas do que vem por aí, com as participações do Batman (Ben Affleck) e sobretudo do The Flash (Ezra Miller).

E para os ‘apressadinhos’ de plantão, não custa nada ter um pouco de paciência para ver as cenas pós-créditos.

Gostou do conteúdo? Então, deixe seu comentário; ele é muito importante para mim. Envie sua sugestão de novos assuntos pelo Messenger. Curta e siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, Twitter e Instagram; e inscreva-se no canal no YouTube.


0000000000000000000000000000000000000000
Maurício Araya
Jornalista graduado (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 Maranhão; e vencedor de duas etapas estaduais do Prêmio Sebrae de Jornalismo, categoria Webjornalismo
http://www.mauricioaraya.com.br